Tribunal do Paquistão anula casamento forçado de menina cristã com muçulmano

  • 15/05/2024
Tribunal do Paquistão anula casamento forçado de menina cristã com muçulmano
Tribunal do Paquistão anula casamento forçado de menina cristã com muçulmano (Foto: Reprodução)

O Tribunal de Família de Pattoki, no Paquistão, anulou o casamento de Reeha Saleem, uma jovem cristã que foi sequestrada em 2019 enquanto voltava da escola para casa.

A menina, com 17 anos na época, foi forçada a se casar com seu vizinho muçulmano e a se converter ao Islã. Agora, a decisão do tribunal tornou o casamento inválido.

A estudante Reeha testemunhou em tribunal que sua assinatura na certidão de casamento foi obtida após coerção durante o seu cativeiro, segundo informou o grupo de defesa jurídica ADF International, que a representou por meio de aliados locais.

O tribunal decidiu que o casamento de Reeha com o raptor Muhammad Abbas não foi voluntário. Abbas, que nunca compareceu às audiências apesar de várias intimações, foi julgado à revelia.

Alívio

O pesadelo de Reeha teve início após ser sequestrada por Abbas enquanto voltava da escola para casa. Ela foi forçada a se casar com ele e a se converter ao Islã, algo que nunca desejou, como enfatizou diversas vezes.

Durante o julgamento, Reeha reafirmou que é cristã e que nunca se converteu voluntariamente ao Islã.

Parveen Saleem, mãe de Reeha, declarou estar extremamente aliviada com a decisão do tribunal.

“Passamos por um período indescritivelmente difícil”, diz ela. "Fomos forçadas a nos esconder porque o sequestrador de Reeha nos ameaçou, querendo 'sua esposa' de volta. Reeha também não pôde continuar seus estudos por causa da situação."

Violações de direitos humanos

Com a anulação do casamento, a mãe da jovem espera que sua filha possa retomar aos estudos e voltar à vida normal.

“Estou profundamente grata à ADF Internacional e à sua advogada aliada Sumera Shafique por obterem justiça para Reeha, e oro para que o nosso país ponha fim a estes abusos”.

Tehmina Arora, diretora da ADF Internacional na Ásia, enfatizou a necessidade de uma mudança sistêmica.

“Nenhuma jovem deveria ter de suportar os horrores do rapto e do casamento forçado, muito menos ser forçada a renunciar à sua fé.”

Arora apelou ao governo paquistanês para estabelecer a idade mínima de casamento em 18 anos para evitar tais casamentos e conversões forçadas.

“Estas conversões e casamentos forçados constituem uma violação maciça dos direitos humanos básicos destas jovens”, disse a diretora da ADF.

“Muitas vezes temem pelas suas vidas e pelas das suas famílias, o que os torna muitas vezes relutantes em acusar os seus captores. No Paquistão, onde estas situações são comuns, o governo tem a oportunidade de fazer a diferença ao introduzir proteções legais, como uma idade mínima para casamento."

FONTE: http://guiame.com.br/gospel/missoes-acao-social/tribunal-do-paquistao-anula-casamento-forcado-de-menina-crista-com-muculmano.html


#Compartilhe

Aplicativos


Locutor no Ar

Top 5

top1
1. Deserto

Maria Marçal

top2
2. Árvore Cortada

Valesca Mayssa

top3
3. A Prova Está Doendo

Eduarda Caroline

top4
4. Volta Espírito Santo

Gerson Rufino

top5
5. Além do Rio Azul

Voz da Verdade

Anunciantes